NOTÍCIAS

  • Sustentabilidade
  • Inovação
  • Corporativo
A pandemia chegou modificando não só a vida ‘normal’, mas também os padrões de comportamento dos consumidores, estimulando o surgimento de um novo perfil de consumidores mais conscientes do meio ambiente, da saúde e da importância da tecnologia. Este novo perfil é exigente, está informado e dá importância às atuações das empresas com relação à sustentabilidade.
O nosso modelo circular baseia-se na reutilização de embalagens de plástico após a respetiva higienização. Estas embalagens são reparáveis e recicláveis, sem gerar resíduos e reintroduzindo os nossos próprios resíduos plásticos no fabrico de mais embalagens. Segundo a Cátedra UNESCO de Ciclo de Vida e Alterações Climáticas (“Cátedra UNESCO de Ciclo de Vida y Cambio Climático”), o uso responsável do plástico das embalagens Logifruit é mais benéfico para o ambiente do que o de outros materiais de utilização única.
A pandemia chegou modificando não só a vida ‘normal’, mas também os padrões de comportamento dos consumidores, estimulando o surgimento de um novo perfil de consumidores mais conscientes do meio ambiente, da saúde e da importância da tecnologia. Este novo perfil é exigente, está informado e dá importância às atuações das empresas com relação à sustentabilidade.
A união do plástico e o modelo de economia circular é a chave para reduzir o seu impacto no ambiente e promover o crescimento sustentável, contribuindo para a realização do Pacto Verde e dos ODS. A Logifruit está empenhada tanto na utilização sustentável deste material como na investigação de outros materiais e processos que nos permitam prolongar a vida útil e a utilização de matérias-primas.
A União Europeia ressaltou a sustentabilidade e os modelos económicos, como a economia circular, que assegurem o caminho para uma Europa de emissões neutras em 2050. Dentro destes modelos, começa a soar com força o termo ‘logística inversa’. Explicamos-lhe o por quê.
A Logifruit evolui o conceito dos 3 Rs da economia circular com um modelo que aposta por um sistema ampliado dos Rs: Racionalizar, Reduzir, Redesenhar, Reutilizar, Reparar e Reciclar.