Logifruit aumenta a sua faturação em 6% em 2019

Em 2019, investiu 38 milhões de euros e economizou a emissão de 882 toneladas de CO2 à atmosfera.

A Logifruit, prestador de serviços logísticos especializado na gestão de embalagens reutilizáveis, encerrou o exercício 2019 com um aumento na faturação de 6% em relação ao ano anterior, o que resultou em vendas de 130 milhões de euros. A companhia especializada no aluguer, limpeza e higienização de embalagens reutilizáveis, realizou investimentos no valor de 38 milhões de euros, principalmente destinados à automatização de processos produtivos.

Pedro Ballester Fernández, CEO de Logifruit, valoriza positivamente estes resultados dentro da estratégia da companhia: “O nosso modelo de economia circular contribui à redução do custo ambiental dos processos mediante a otimização e o uso responsável pelos recursos. Obtemos o máximo valor e uso de todas as embalagens para assegurar a qualidade dos nossos clientes, e continuar crescendo de uma forma social, meio-ambiental e economicamente sustentável. Graças ao nosso enfoque de inovação aberta, criamos oportunidades de co-inovação alinhadas com o nosso propósito corporativo: conectar as redes de fornecimento de forma sustentável”.

Os seus grandes marcos em 2019: começo da atividade em Portugal acompanhando a Mercadona na sua expansão e a mudança para um parque de embalagens dobráveis que poupam as emissões de CO2 .

Em 2019, produziu-se um marco de particular importância, o início da atividade fora de Espanha. Assim, a Logifruit, acompanhando a Mercadona na sua expansão a Portugal, começou a sua atividade em Póvoa de Varzim (Porto). Com este acontecimento, a companhia, atualmente, opera a partir de um total de 14 plataformas logísticas que somam mais de 200.000 m2 em instalações com maquinaria de última geração e altamente robotizadas para dar serviço aos seus mais de 1.000 clientes de Espanha e internacionais.

Centros logísticos

Este ano significou a implementação total de uma frota de contentores dobráveis em frente da caixa rígida, o que significa uma poupança nas emissões de CO2 ao reduzir o número de camiões carregados proporcionalmente aos contentores transportados. A utilização de uma frota de caixas dobráveis versus uma frota de caixas rígidas significou uma poupança de 87.810 camiões em 2019. Ao mesmo tempo, as melhorias na eficiência dos transportesimpediram a emissão de 882 toneladas de CO2 para a atmosfera.

Desde o seu começo, a Logifruit desenhou um modelo de crescimento sustentável sustentado na gestão eficiente dos recursos, o que se transfere ao desenho dos seus fluxos de trabalho e das suas embalagens. Durante o ano de 2019, continuou a implementar iniciativas que reduziram o consumo de energia e, paralelamente, minimizaram o impacto meio-ambiental da sua atividade. Assim, a água consumida por movimento de embalagem (l./embalagem) gerou um -2% com relação ao ano anterior e a energia consumida por movimento de embalagem (kWh/embalagem) também se reduzia um -3%.

Aposta contínua pelos seus colaboradores internos

A implicação da Logifruit com a formação materializou-se em 2019 num investimento de 383.000 € em formação, o que proporciona um aumento de quase 28% em relação a 2018, com mais de 10.633 horas de formação externa e interna, as quais recebem 100% da sua equipa. A promoção interna e os planos de carreira personalizados continuaram sendo protagonistas na estratégia de relações humanas da companhia. Assim, em 2019, mais de 120 empregados foram promovidos internamente.

Além disso, seguindo o caminho que já havia iniciado há oito anos, está desenvolvendo o seu II PIO, Plano de Igualdade de Oportunidades, tendo obtido o selo de “Igualdade de Oportunidades” concedido pela Generalitat Valenciana.

2019 2018
Faturação 130,54 milhões de € 122,79 milhões de €
Impostos 21,04 milhões de € 16,92 milhões de €
Número de trabalhadores
Vendas